Mercado de caminhões cresce 50% no semestre

Balanço das vendas da Fenabrave mostra estabilidade nos negócios em junho após greve de caminhoneiros em maio

Vendas de caminhões em alta Foto:: Scania Trucks

De todas as categorias de veículos do setor automotivo, os de caminhões e de implementos rodoviários foram os que apresentaram os maiores crescimentos nas vendas ao fim do primeiro semestre do ano. Segundo os números do Renavam consolidados pela Fenabrave, a associação que reúne os concessionários, de janeiro a junho, o mercado absorveu 32.388 caminhões, alta de 50,7% sobre o mesmo período do ano passado, quando os licenciamentos dos pesados somaram 21.547 unidades.

Somente em junho, os emplacamentos alcançaram 5.731 caminhões, volume que representou crescimento de 37,1% na comparação com o resultado do mesmo mês de 2017, de 4.179 unidades, e estável em relação a maio, com 5.717 licenciamentos. Cabe lembrar que maio foi marcado por uma greve de caminhoneiros e junho teve início a Copa do Mundo, o que tradicionalmente arrefece as vendas de veículos.

O desempenho nos negócios de implementos rodoviários foi ainda mais expressivo. Nos primeiros seis meses do ano, os emplacamentos acumularam 20.019 reboques e semirreboques, expansão de 79,8% sobre as 11.135 unidades emplacadas há um ano.

O mesmo patamar de crescimento foi registrado em junho, com 3.776 implementos vendidos, volume que representou alta de 71,64% na comparação com o mesmo mês de 2017.

Ranking – Na disputa pelo mercado dentre as cinco montadoras que mais vendem no País, a Mercedes-Benz encerra o primeiro semestre na liderança com 9.269 unidades vendidas ou 28,64% do mercado total de caminhões. Atrás dela, a Volkswagen Caminhões e Ônibus registrou 8.352 emplacamentos, uma participação de 25,85% das vendas.

A Volvo segue em terceiro lugar com vendas de 4.358 unidades (13,48%), a Ford termina o período em quarto, ao licenciar 3.971 caminhões (12,28%), seguida bem de perto pela Scania, com 3.914 unidades emplacadas (12,1%).


Notícias relacionadas