Vendas de caminhões recuam 8% em maio

Paralisação dos caminhoneiros impediu licenciamentos de veículos prontos para serem entregues

Greve interrompe trajetória de crescimento nas vendas Foto: Scania Trucks

Os onzes dias da greve dos caminhoneiros prejudicaram a trajetória de crescimento das vendas de caminhões em maio. Segundo balanço da Fenabrave, federação que representa o setor de distribuição de veículos no País, as 5.717 unidades licenciadas no mês passados foram 8,12% menores na comparação com abril, quando os emplacamentos somaram 6.222 caminhões.

De acordo com relatório da entidade, até antes da paralisação do setor de transporte, o desempenho do mês de maio acompanhava tendência positiva como a que vinha sendo apurada nos últimos meses. Somente entre dos dias de 21 a 30 de maio, as vendas diárias de veículos registraram queda de 15%, considerando todos os segmentos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, implementos e motocicletas).

“A partir do dia 25 de maio, o número de veículos emplacados começou a retrair”, conta em comunicado Alarico Assumpção Júnior, presidente da Fenabrave. “Este cenário ocorreu, entre outras razões, pela dificuldade de abastecimento de combustível, que fez com que os veículos, já prontos para entrega, não fossem conduzidos aos pátios dos Detrans para emplacamento.”

Ao se comparar com maio de 2017, no entanto, ocasião na qual os licenciamentos alcançaram 4.119 unidades, a trajetória ainda se mantém em alta de 38,8%.

No acumulado do ano mais um forte sinal da recuperação das vendas. De janeiro a maio, o mercado de transporte de carga absorveu 28.607 caminhões, alta de 54% sobre o mesmo período do ano passado, quando somou 17.278 unidades emplacadas nos cinco primeiros meses do ano.

Participações – A Mercedes-Benz segue na liderança das vendas com 7.755 caminhões vendidos de janeiro a maio, o que representou 29,15% de participação nos negócios.

Na vice-liderança também se mantém a Volkswagen Caminhões ao vender 6.876 veículos ou fatia de 25,84%. A Volvo garantiu o terceiro lugar com 3.537 caminhões licenciados (13,29%), a Ford ficou na quarta posição ao negociar 3.187 unidades (11,98%) e, bem perto, a Scania ocupou o quinto lugar com 3.136 caminhões emplacados nos cinco primeiros meses do ano (11,79%)


Notícias relacionadas