Scania R440 lidera as vendas com folga

Modelo dispara na frente do mercado de caminhões em geral e encerra o primeiro quadrimestre com 15% dos pesados

Scania R440 lidera as vendas de caminhões até abril de 2018
Scania R440 Crédito: Dan Boman/Scania

Encerrado os quatro primeiros meses do ano, o Scania R400 segue isolado tanto na liderança do mercado total quanto na categoria em que atua, a de pesados. No período o modelo acumulou 1.404 unidades licenciadas, conforme dados do Renavan consolidados pela Fenabrave, a federação que representa as concessionárias no País. O volume representou 15% das vendas de pesados, em mercado que somou 9.361 caminhões emplacados de janeiro a abril.

O Volvo FH 540 ficou na vice-liderança do mercado, como também no de pesados, com 1.158 unidades emplacadas no primeiro quadrimestre do ano, ou 12,4% das vendas pesados. O desempenho dos dois do topo da lista nos quatro primeiros meses do ano foi responsável por quase um terço das vendas do mercado de caminhões pesados.

Em terceiro lugar do ranking dos mais vendidos do quadrimestre aparece o Volkswagen Constellation 24.280. As 814 unidades licenciadas permitiram ao modelo fechar o período na liderança dos semipesados com fatia de 17% em mercado que acumulou 1.476 caminhões vendidos.

O Volkswagen Delivery 8.160 ocupa a quarta posição da lista da Fenabrave, mas segue na liderança do segmento de leves com 687 caminhões licenciados, ou 16,4% do mercado da categoria, de 1.117 unidades negociadas de janeiro a abril.

Outro representante da Volvo, o FH 460 chega ao fim dos primeiros quatro meses no quinto lugar ao contabilizar 686 unidades emplacadas, participação de 7,3% da categoria de pesados.

O ranking dos cinco modelos mais vendidos no primeiro quadrimestre oferece uma amostra representativa de como segue a trajetória de recuperação do mercado de caminhões. Ao totalizar o período com 20.891 unidades vendidas, em alta de 58,8% na comparação com o acumulado até abril do ano passado, as vendas de pesados participaram com 44,8%, a de semipesados, 22,9% e a de leves, 20%.

 


Notícias relacionadas