Início de ano da Mercedes-Benz é marcado por grandes negócios

Nos últimos dois meses a fabricante negociou 6 mil veículos comerciais e espera que o mercado de caminhões cresça 30% em 2018

Raízen compra 300 caminhões Mercedes-Benz Crédito: Mercedes-Benz do Brasil

O começo do ano para a Mercedes-Benz sugere um horizonte muito de diferente (e rentável) do que o mercado de veículos comerciais viveu nos últimos tempos. Apenas nos meses de dezembro e janeiro, a fabricante negociou 6.212 veículos, dentre caminhões, ônibus e utilitários Sprinter com gigantes do setor de transporte.

“Há muito tempo não vemos um início de ano tão movimentado”, conta entusiasmado Roberto Leoncioni, vice-presidente de vendas, marketing e peças e serviços caminhões e ônibus da companhia. “Se no passado recente tínhamos de procurar o cliente, agora temos de pensar em como atendê-lo.”

Pelas observações de Leoncini, segmentos como o do agronegócio, do transporte de combustível e produtos químicos, das operadoras logísticas, da mineração e do madeireiro se encontram em fase de renovação de frota para atender à crescente demanda proveniente do aquecimento da economia do País.

“Desde a Fenatran, em outubro do ano passado, as conversas de negócios estão mais consistentes. Hoje, os índices de inflação e a taxa Selic são quem impulsionam a tomada de decisão do empresário do setor. Diante deste cenário, a estimativa é de um crescimento de 30% no segmento de caminhões para 2018.”

Apenas em caminhões, a empresa somou nos últimos dois meses pedidos de 1.073 unidades. Depois negociar 524 caminhões em julho de 2017, a Raízen veio às compras novamente em janeiro e encomendou mais 300 Actros para o transporte de combustível da divisão Shell e outros 233 Axor para atuarem nos campos de cana-de-açúcar. Na conta, em seis meses a companhia do ramo de combustível acertou a compra de 1.057 caminhões.

No mês passado também a D’Granel Transportes levou para a garagem 100 caminhões, dos quais 86 Axor e 14 Actros para operações no Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste no transporte de granéis sólidos para siderurgias, mineradoras cimenteiras e celulose.

Também em janeiro, a Expresso Nepomuceno fechou compra de 80 Axor para o transporte de cana-de-açúcar, a Transjordano levou 52 Actros para transferência de combustível, a Log Brasil 35 Actros para atendimento logístico e a Breda outros 23 Axor para operar no segmento canavieiro.

Pouco antes, em dezembro a Transoeste, em negociação de troca do usado pelo novo com a SelecTrucks, rede de lojas de seminovos da Mercedes-Benz, negociou 150 Actros para o transporte de grãos e a Risa renovou a frota com outros 100 Actros para transferências de soja no Nordeste.

De acordo com Leoncini, todos os caminhões serão entregues nos próximos meses, “mas a soma dos pedidos é maior. Estes são somente aqueles em que as empresas envolvidas permitiram divulgação”, adianta o executivo.

Transporte de passageiros

No caso de ônibus, os negócios com órgãos públicos e empresa operadoras dos segmentos rodoviários e urbanos deverão ser os protagonistas no crescimento de mercado de 15% estimados pela empresa.

A temperatura das compras nos meses recentes é quem baliza o otimismo para o ano. Em dezembro e janeiro, a Mercedes-Benz recebeu encomenda de 3.985 chassis que serão emplacados ao longo de 2018.

Do total negociado até agora, 1.600 se destinam ao programa Caminho da Escola, 480 para renovação de sistemas de transporte urbano (300 para diversas cidades de São Paulo e 180 para Recife, PE), 1.000 seguirão para o Grupo Constantino, além de outros 950 micro-ônibus para a Secretária de Saúde de Minas Gerais.

No segmento de utilitários leves, a fabricante negociou 1.154 Sprinter no último bimestre. Do volume, 579 diz respeito à licitação ganha junto à Secretaria de Planejamento e Gestão de Minas Gerais e outros 575 furgões configurados como ambulância – parte de um lote de 800 unidades das quais 225 já foram entregues -, seguirão para o SAMU.


Notícias relacionadas