Heavy Tipper: novo Scania global para mineração.

Caminhão tem 25% a mais de capacidade de carga líquida e promete reduzir em até 15% os custos do transporte

Foto: Scania

A Scania escolheu o Brasil para lançar seu mais novo produto global, o Heavy Tipper, um veículo desenvolvido especialmente para atender ao segmento de mineração. Após quatro anos de desenvolvimento e dois de testes, a fabricante chegou a uma solução intermediária, inédita no mercado, na qual se posiciona entre os modelos rodoviários adaptados para a aplicação e os gigantes da chamada linha amarela.

De acordo com a fabricante, o novo veículo entrega mais produtividade e menores custos se comparado aos veículos disponíveis para a mineração até agora. O Heavy Tipper proporciona ganhos reais de 25% a mais de carga líquida, 5% a mais de disponibilidade, redução de 13% no consumo, 15% a menos no custo da tonelada transportada e 5.000 horas a mais de vida útil, por volta de 1 ano a mais de trabalho. Em média, um caminhão da mineração é aposentado com três de uso ou aproximadamente 18 mil horas trabalhadas.

“Hoje, um caminhão 8×4 com PBT de 50 toneladas transporta, em média, 32 toneladas de carga líquida. Com o Heavy Tipper, na mesma configuração 8×4, o aumento de PBT para 58 toneladas eleva a capacidade para 40 toneladas de carga útil”, exemplifica Celso Mendonça, diretor de desenvolvimento de negócios da fabricante. “Isso significa que posso reduzir uma operação de dezoito caminhões para dezesseis.

Para se tornar um Heavy Tipper, os times de engenheiros da Suécia e do Brasil projetaram uma nova estrutura para o caminhão. Os eixos traseiros foram redesenhados com uma carcaça reforçada. As molas são mais largas. O eixo cardã tem diâmetro 24% maior na comparação ao que equipa o modelo adaptado. A caixa de câmbio automatizada Opticruiser de 14 marchas é nova, com anéis sincronizadores tratados com fibra de carbono. Os eixos dianteiros ganharam espessura e a suspensão ganhou mais um feixe de mola. Também o sistema de freio foi redimensionado com lonas 50% maiores e o sistema de direção reforçado.

A gama Heavy Tipper é composta pelos modelos G 480 8×4 e P 440 6×4. Ambos trazem motor de 13 litros com 480 cv e torque de 2.400 Nm de 1.000 a 1.350 rpm e 440 cv e torque de 2.300, de 1.000 a 1.300 rpm, respectivamente. A linha Scania rodoviária habitualmente usada pelo segmento com motores de 400, 440 e 480 cv nas configurações 6×4, 6×6, 8×4 e 10×4 segue em oferta.

Os novos caminhões, no entanto, são apenas uma fração da estratégia planejada pela Scania para a mineração. Com eles a fabricante também pode levar uma série de ferramentas e serviços com o objetivo de elevar a eficiência do negócio. A marca criou a Scania Mining, unidade de negócio dedicada ao segmento, na qual reúne diversas atividades e processos específicos, desde possibilidade de gerenciamento de frota por meio da conectividade em tempo real às oficinas e lojas de peças no própria mineradora.

Para o lançamento do Heavy Tipper a Scania preparou diversos eventos para clientes, tanto locais quanto internacionais. Em uma semana a fabricante já negociou em torno de 190 unidades, 45 delas para mineradoras do Brasil. “Em um único pedido, 100 caminhões seguiram para Índia”, revela Fabrício Vieira de Paula, gerente da operação Scania Mining no Brasil e avalia: “o caminhão veio para levar a Scania a outro patamar no segmento de mineração”. Segundo De Paula, os caminhões começam a ser entregues no fim de novembro a partir da fábrica de São Bernardo do Campo (SP).

De acordo com o gerente, em um mercado de 600 unidades, como foi o ano passado, a Scania deteve 33% de participação no segmento e, com os Heavy Tipper, projeta obter 45% até 2020, quando a expectativa é de um mercado de 1.200 unidades.


Notícias relacionadas