Cummins preparada para o futuro

Fabricante de motores leva para a Fenatran arsenal de soluções que pavimenta seu caminho para uma nova era

Foto: Cummins

A Cummins dá passos largos para assumir um novo papel em suas operações no mundo. Como empresa de tecnologia, que investe US$ 700 milhões anualmente na área de pesquisa e desenvolvimento, cada vez mais deixa no passado a identificação de fabricante de motores a diesel para atuar como provedora de soluções para o trem de força.

A chave propulsora deste movimento é a diversidade energética, na qual a companhia norteia suas estratégias. Parte desta força estará exposta na Fenatran 2017, a ser realizada de 16 a 20 de outubro no Expo São Paulo, na capital paulista.

“O futuro não assusta a Cummins. Enxergamos as novas tecnologias com naturalidade”, pondera Luis Pasquotto, presidente da Cummins Brasil e vice-presidente da Cummins Inc. “Além da tecnologia do diesel, investimos também no gás, em combustíveis alternativos e na eletrificação. Seja qual for a tecnologia adotada, quando o mercado estiver pronto, a Cummins estará pronta.”

Embora não esteja presente na Fenatran, o Aeos, o caminhão elétrico conceito da empresa revelado recentemente nos Estados Unidos, a Cummins dará destaque à tecnologia de eletrificação na exposição. Exemplo tangível do que é capaz de fazer, a fabricante já considera a solução como realidade para o mercado daqui dois anos, quando a partir daí passa a trabalhar no aumento da autonomia do veículo elétrico.

Tendência, no entanto, não supre a necessidade atual e a Cummins não deixará de apresentar o que já tem na prateleira, como o motor ISB 2.8 com tecnologia EGR, de recirculação de gases, e turbo de geometria variável. O motor foi adotado pela Volkswagen Caminhões e Ônibus para estar presente no mais recente lançamento de caminhões Delivery, de maneira específica no semileve Express. O equipamento, porém, tem outra versão que adota o SCR, de pós-tratamento de gases com uso de Arla 32, também fornecido para a nova família de caminhões da Volkswagen, no caso para o Delivery 6.160.

A Cummins mostrará também o ISB 6.7 com 20 cavalos de potência a mais, para 310 cv e 1.100 Nm de torque e uma novidade em teste com montadoras instaladas aqui, o ISG 12, um motor de 12 litros com 510 cv e 2.305 Nm. O motor é uma inovação para aplicação em caminhões com PBT (Peso Bruto Total) acima de 45 toneladas ao aliar alto desempenho e baixo peso, tem apenas 860 kg.

“Nossa missão é agregar valor”, resume Rafael Torres, diretor de engenharia de motores da Cummins para a América Latina. “O amplo conhecimento de mercado que temos nos permite desenvolver tecnologia e produtos mais adequados para os clientes locais.”

Além da tecnologia de motores, a Cummins ainda investe na integração do motor com a eletrônica embarcada. Uma das maiores novidades da empresa é o Adept. A ferramenta eletrônica para veículos com câmbio automatizado que monitora motor e transmissão e escolhe a melhor região para as trocas de marcha, como também faz o veículo operar o maior tempo possível na faixa de melhor desempenho do motor.


Notícias relacionadas